yo viviré, para volverlos a encontrar

<Data> 17/03/2011 23:48:54 <Mensagem> Pessoas como vc podem salvar a humanidade. <De> Ana R

molhei o algodãozinho e escolhi o melhor feijão. o feijão adormecido em nuvenzinha úmida. depois, brotinho. o verde que se derrama no branco. lati bem alto, de alegria, sem mover os lábios. canekolina, mordi flanelas, pelúcias. piquei conversas num potinho de plástico.

são teus poemas folhescentes na cabeça. ou os bonequinhos de gelo da néle. ou nosso elo em tantas partes. coisas destinadas. faria a lista dos encontros. desde o início. desses de desenrolar novelos coloridos. criar matizes esquisitas, que desmaiam de bonitas, e um brilho onírico pela casa. mulheres centrais.

restos de violência. pedacinhos de dor que nos fazem cócegas. bulas de remédio mágico nós tecemos, para despistar a máquina do mundo, a fúria mítica, que jamais se abriria em calma pura aos nossos dedos hábeis.

penduro tuas palavras:

Aqui só há espaços em branco. O contrário seria uma página negra com letras em branco e isso é o céu estrelado. Eu vejo invariavelmente uma tela branca.

e lembro também da márcia: gosto, respeito, me alegra. incendiamos uns vídeos num cinzeiro.

danço com a phedra. en la sangre de mi pueblo en su cuerpo estaré yo/ seré siempre lo que fuí, con mi azúcar para tí/ yo viviré, yo viviré

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s